Derivações

Derivações

994
PARTILHE
A OPINIÃO de HENRIQUE DENTINHO;
Artista plástico

O consumo de pulseiras eletrónicas está a crescer assustadoramente. Montar uma fábrica para produzir este artigo, seria um benefício para o país, pois poderia exportá-lo, visto os corruptos estarem a aumentar de forma exponencial. Proveitoso seria o fabrico duma pulseira em ouro para aqueles corruptos mais endinheirados, mostrando assim que Portugal é o primeiro nas DESCOBERTAS, dando assim a continuidade… de novos mundos… ao MUNDO.

Uma outra sugestão é construir, pelo menos, mais uma prisão, dado que a tendência é o aumento dos criminosos, nesta tarefa banal de matar o próximo ou próxima, muitas vezes por enfiar o barrete, hoje, pôr num chapéu de notas, em que o dinheiro é
“KING”.

Por isso roubar deixou de existir. A evolução arranjou palavras modernas – CORRUPÇÃO. Ser corrupto é ser moderno. Tem vantagem de “limpar milhões”, sempre protegidos pelo poder “DIVINO”… Um tipo fica milionário sem qualquer condenação e, supõe-se, com a CONSCIÊNCIA TRANQUILA.

Por que não uma unidade de lavagem das consciências, para que a tranquilidade se expanda, com produtos para “SNIFAR”, visto que a droga, possivelmente os milhões, de muitos miliões, nesta
banalizada gíria dos futebóis, lavando os grandes corruptos nas golpadas internacionais, e quem sabe…!!!

“Portugal à beira-mar plantado“ é pólo de alegria
no deslumbramento da NATUREZA.

Com esta costa tão bela, neste ALGARVE dos descobrimentos, espreitar pela janela da SERRA com seu sobreiro, medronheiro e suas belas gentes é sentir um mar tão perto, lembrando os cavaleiros que partiram em NAUS, na descoberta de NOVOS
MUNDOS.

Dentro destas derivações da corrupção, faz muita falta nos estudos académicos, uma cadeira dedicada à corrupção. Existem grandes mestres neste Portugal. Poderiam depois os formandos seguindo a sugestão dum expoente da política, como os
cavaleiros da moderna cultura, colaborando com
o mundo, quais cavaleiros ilustrando este “PORTUGAL À BEIRA MAR PLANTADO”.

(ES/CM)

Facebook Comments

Comentários no Facebook