Holanda vence Festival Eurovisão da Canção pela quinta vez (Ver vídeos)

Holanda vence Festival Eurovisão da Canção pela quinta vez (Ver vídeos)

1061
PARTILHE
Para ver o vídeo da canção vencedora, basta clicar aqui (D.R.)
A Holanda venceu, pela quinta vez, o Festival Eurovisão da Canção, com o tema “Arcade”, interpretado por Duncan Laurence, que era o favorito à vitória de acordo com a média de várias casas de apostas.

Foram 41 os países que marcaram presença, este ano, na 64ª edição do Festival Eurovisão da Canção. Atuaram na final os artistas de 26 nacionalidades.

Segundo avança a RTP e a Lusa diretamente em Telavive, “aos 20 países apurados nas duas semifinais da última semana juntaram-se os denominados “cinco grandes” – França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido – e o país anfitrião.

Na semifinal realizada a 14 de maio, quando o representante português, Conan Osíris, acabou por ser eliminado, apuraram-se Grécia (Katerine Duska, Better Love), Chipre (Tamta, Replay), Austrália (Kate Miller-Heidke, Zero Gravity), Islândia (Hatari, Hatrið mun sigra), Sérvia (Nevena Bozovic, Kruna), República Checa (Lake Malawi, Friend of a friend), Eslovénia (Zara Kralj & Gasper Santl, Sebi), Estónia (Victor Crone, Storm), Bielorrússia (Zena, Like it) e São Marino (Serhat, Say Na Na Na).

Na passada quinta-feira, dia da segunda semifinal, apuraram-se Macedónia do Norte (Tamara Todevska, Proud), Holanda (Duncan Laurence, Arcade), Albânia (Jonida Maliqi, Ktheju Tokës), Suécia (John Lundvik, Too Late For Love), Rússia (Sergey Lazarev, Scream), Azerbaijão (Chingiz, Truth), Dinamarca (Leonora, Love Is Forever), Noruega (KEiiNO, Spirit In The Sky), Suíça (Luca Hänni, She Got Me) e Malta (Michela Pace, Chameleon).

A julgar pela média das casas de apostas, estimada pelo portal eurovisionworld.com, a eliminação de Conan Osíris e do tema Telemóveis era previsível. Ainda assim, o desfecho da semifinal em que participou o cantor português motivou uma onda de protestos nas redes sociais.

Portugal participou pela primeira vez neste evento em 1964. Falhou cinco edições: 1970, 2000, 2002, 2013 e 2016.

De 2004 a 2007, inclusive, e em 2011, 2012, 2014 e 2015 o país falhou o apuramento para a final. Em 2017, pela primeira vez, conquistou o troféu da Eurovisão com Salvador Sobral, que deu a voz à canção Amar pelos dois, da autoria da irmã, Luísa Sobral.

Esta vitória valeu a Portugal a organização do evento em 2018. Em Lisboa venceu a israelita Netta, com o tema Toy.

Um festival contestado

A realização do festival em território do Estado hebraico motivou várias ações de protesto e mesmo apelos a boicotes, um dos quais dirigido por Roger Waters, músico fundador dos Pink Floyd, a Conan Osíris.

Na quinta-feira, uma ativista conseguiu “fazer-se ouvir” na semifinal, empunhando um cartaz com palavras de ordem contra o comportamento das autoridades israelitas para com os palestinianos: “Atreve-te a sonhar o fim do apartheid”, numa referência ao tema do festival, “Atreve-te a sonhar”.

A ativista, que envergava uma camisola alusiva à Palestina, foi expulsa por elementos da segurança, num episódio que a realização da KAN, televisão pública de Israel, não registou.

Algo que não pôde fazer na noite de sábado quando Madonna subiu ao palco do espetáculo televisivo.

A cantora norte-americana cantou após as atuações dos 26 concorrentes. Foram vários os apelos dirigidos à estrela da pop para que boicotasse o concurso. Madonna rejeitou-os, mas não deixou de assumir uma posição, ao fechar a atuação em Telavive com dois bailarinos a envergar bandeiras de Israel e da Palestina nas costas e a caminharem abraçados.

“Wake Up” (acordem) foi a frase projetada em ecrãs no culminar da performance do tema de 1989 Like a Prayer e da estreia de Future, a par do rapper norte-americano Quavo.

– Atualizado às 09:42, 19.05.2019

Facebook Comments

Comentários no Facebook