Alunos tavirenses trabalham vida e obra de Álvaro de Campos

Alunos tavirenses trabalham vida e obra de Álvaro de Campos

368
PARTILHE

Álvaro de Campos, heterónimo de Fernando Pessoa, era natural de Tavira (Foto D.R.)

A Festa dos Anos de Álvaro de Campos é um projeto criado pela Associação Partilha Alternativa e que, em conjunto com a Escola Secundária de Tavira e várias associações artísticas, artistas individuais e empresários tavirenses, pretende reviver a obra de Álvaro de Campos, um dos heterónimos de Fernando Pessoa, que era natural de Tavira. Os alunos do curso de Artes Visuais são desafiados a elaborar trabalhos que se relacionam com o autor.

“Esta festa surge da comunidade para a cidade. A Casa Álvaro de Campos celebrava esta data, desde a sua criação, há mais de 30 anos. Depois existe a Armação do Artista, que é uma associação ligada ao teatro, criada em 2006, e que todos os anos fazia uma peça de teatro ligada a Fernando Pessoa”.

“Quando chegou o aniversário dos 125 anos decidi fazer uma proposta e juntar num só programa todas estas atividades”, refere Tela Leão, presidente da Associação Partilha Alternativa. A responsável salienta ainda que “nem todas as escolas no Algarve têm a vertente artística como opção. Este programa vai buscar à obra de Álvaro de Campos assuntos que estão relacionados com o poeta e que sejam interessantes replicar na sociedade”.

Segundo Reinaldo Barros, professor de Desenho da Escola Secundária de Tavira, “estamos diante do maior vulto da poesia portuguesa do século XX. Fernando Pessoa é um dos grandes poetas universais deste tempo e penso que é importante trabalharmos esses valores que são da nossa identidade, da nossa cultura”.

Os alunos procuram inspirar-se em Álvaro de Campos

“Normalmente o poeta é tratado nas aulas de português através do discurso lido e nas artes existe a necessidade de abordar o discurso vivido”, sendo que “a abordagem passa por ler o poema, vivenciar e sentir o poema, bem como, o contexto e a época em que o poeta vivia”. Os professores procuram, através destes trabalhos, que os alunos se inspirem na obra de Álvaro de Campos e “consigam expressá-lo em termos visuais”, sendo que “têm liberdade para utilizar tudo aquilo que a linguagem plástica permitir na execução dos mesmos”.

Por sua vez, Luís Nunes, também professor de Desenho, acrescenta que “os trabalhos têm resultado muito bem. Este ano fizemos uma primeira exposição na Casa das Artes, depois houve uma segunda exposição no Museu Álvaro de Campos e, neste momento, já estão expostos na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos”.

O projeto começou a dar os primeiros passos em 2015. Durante esse primeiro ano celebrou-se o 125º aniversário de Álvaro de Campos, com uma festa que durou duas semanas em outubro e que se estendeu até novembro para incluir a exposição dos trabalhos de alunos da Escola Secundária de Tavira, sob o tema “O Meu Álvaro de Campos”, na Biblioteca Municipal de Tavira.

Em 2016, o programa teve o apoio do 365 Algarve e mudou de nome para “Festa dos Anos de Álvaro de Campos” e a festa estendeu-se aos meses de outubro e novembro. Foi durante esse ano que a Casa das Artes de Tavira aderiu ao programa e acolheu a exposição dos trabalhos dos estudantes. Ainda em 2016 foram acrescentadas duas oficinas extracurriculares, uma de iniciação a técnicas de gravura pela OBS Oficina Bartolomeu dos Santos e uma de poesia encenada pela Associação Semente de Alfarroba. Em 2017 o tema para as escolas foi “Do Meu Álvaro de Campos” e existiu, pela primeira vez, uma colaboração da Câmara Municipal de Tavira.

Por sua vez, em 2018 perderam o investimento do 365 e “a festa só aconteceu porque os participantes investiram nela, fazendo uso do repertório dos anos anteriores”.

A exposição dos estudantes tavirenses esteve na Casa das Artes de Tavira e na Casa Álvaro de Campos, onde foi visitada pelo sobrinho de Fernando Pessoa, Luís Miguel Rosa Dias.

A exposição passou ainda pela Biblioteca Municipal de Tavira e pela Escola D.Manuel I. Os temas foram o “Futurismo do Nosso Passado” e “Sentir Tudo de Todas as Maneiras”.

Para o presente ano estão programadas várias atividades, tais como, uma oficina de iniciação a técnicas de Gravura, uma de poesia encenada e uma nova oficina de animação digital pela Casa Fotografia Andrade e as exposições dos trabalhos dos alunos na CAT. Este ano o tema para os trabalhos dos alunos será “Interseccionar, interligar, interagir”, inspirado no poema do movimento interseccionista aplicado à poesia, “Chuva Oblíqua”, de Fernando Pessoa.

Os alunos que participam no projeto são de Artes Visuais

Segundo Ana Cristina Matias, coordenadora do projeto na Escola Secundária Dr. Jorge Augusto Correia (ESJAC), “em Tavira há uma tradição de comemorar o aniversário de Álvaro de Campos mas essas comemorações eram quase invisíveis e a partir do momento em que existe uma programadora cultural, Tela Leão, que une esforços e instiga, isso começa a ser muito mais visível”.

“Com a Festa dos Anos de Álvaro de Campos esta comemoração decorre ao longo de vários meses, sendo que as atividades começam em outubro e vão até novembro, ainda que normalmente, devido ao sucesso do projeto, as atividades sejam repetidas na comunidade noutros meses”.

O núcleo central de alunos que participa no projeto é do Curso de Artes Visuais, no entanto, existem atividades abertas a qualquer curso e a qualquer ano escolar. José Otílio Pires Baía, diretor do Agrupamento, termina dizendo que “os alunos olham para esta experiência de forma muito positiva”, sendo que “temos tido sempre agradáveis surpresas com os nossos jovens, que são pequenos grandes talentos”.

(Stefanie Palma / Henrique Dias Freire)

Facebook Comments

Comentários no Facebook