Áreas Empresariais de Lagos dão-se a conhecer no Centro Cultural

Áreas Empresariais de Lagos dão-se a conhecer no Centro Cultural

1283
PARTILHE
A organização acredita na necessidade de apostar em outras áreas além do turismo (Foto D.R.)

Decorreu no Centro Cultural de Lagos o primeiro evento promocional conjunto das Áreas Empresariais de Lagos. A iniciativa surge no âmbito do projeto REVIT + e incluiu uma Mostra Empresarial (aberta ao público em geral), a realização de Laboratórios de Aceleração de Projetos, consistindo em reuniões entre consultores e empresas, assim como um Fórum para a Competitividade, onde são apresentados workshops temáticos de capacitação das empresas para a inovação.

Na Sessão de Abertura do Fórum, a 16 de junho, estiveram presentes Maria Joaquina Matos, presidente da Câmara Municipal de Lagos, Vitor Neto, presidente do NERA, e Aquiles Marreiros, em representação da CCDRAlgarve. Todos sublinharam a importância do projeto, com Joaquina Matos a colocar a tónica na “necessidade de valorização do tecido empresarial local e do reforço da cooperação e articulação, como formas de aumentar a resiliência e a capacidade de enfrentar a competição num mercado cada vez mais global”. Reiterando a total disponibilidade de apoio do Município ao REVIT +, a autarca explicou a génese do projeto, nascido no seio da AMAL e em articulação com as demais entidades parceiras (CCDRAlgarve e NERA), e considerou que o mesmo tem estado a ser bem agarrado e a deixar as suas sementes.

O Algarve precisa de mais e melhores empresas, diz Vitor Neto

Vitor Neto, por seu turno, defendeu que “a região necessita de reforçar e valorizar outros setores económicos para além do Turismo, que, apesar de ser o mais importante, não pode ser o único, havendo que apostar na estrutura produtiva e na capacidade económica”. Ter mais e melhores empresas, com capacidade de adaptação à realidade económica, será, no entender deste dirigente e empresário, o único trunfo possível. O Presidente do NERA sublinhou, ainda, que apesar do projeto REVIT + concentrar o seu esforço de capacitação em 3 áreas empresariais do Algarve (Lagos, Loulé/Vilamoura e Tavira), este tem também um vetor – o de desenvolvimento e afirmação de uma imagem e estratégia de comunicação – que beneficiará todas as áreas empresariais da região.

Aquiles Ribeiro recordou o projeto “Algarve Acolhe” desenvolvido pela CCDR e a plataforma de comunicação por esta criada, que permitiu congregar e promover as 75 áreas empresariais do Algarve, mencionando igualmente a boa experiência das ações de capacitação realizadas na área empresarial de Loulé, a qual se pretendeu replicar a outras áreas através do projeto REVIT +. Na sua intervenção deixou também algumas informações sobre a estratégia para o quadro comunitário de apoio 2021-2027, que tem estado a ser preparada envolvendo todos os parceiros da região, e a que as empresas devem estar atentas, sendo certo que o bolo financeiro será igual ao do Algarve 2020, mas prevendo-se a redução da percentagem de financiamento de 75% para 55%.

António Cristovam, consultor do projeto, apresentou o estudo de caracterização das áreas empresariais de Lagos e falou sobre a importância da estratégia e do marketing no sucesso das PME.

Estiveram presentes na mostra 76 empresas

“A presença na Internet para alavancar vendas e captar o cliente” foi o tema da comunicação de Jorge Cabaço, consultor que sublinhou as vantagens do “Marketing de Atração” e da utilização das redes sociais, face aos hábitos de consumo de informação atuais e à possibilidade que estas conferem, mesmo às pequenas e médias empresas, de segmentarem os seus públicos, controlarem os seus custos de comunicação, terem acesso a métricas em tempo real, permitirem agilidade e interação.

No segundo dia de trabalhos, a 17 de junho, o Fórum para a Competitividade abordou temas como a preparação de projetos de inovação, o RIS 3 e CRESC Algarve 2020 (casos práticos) e os sistemas de incentivos à inovação empresarial. Na mostra, o público teve oportunidade de ficar a conhecer algumas das 76 empresas que estão atualmente instaladas nas 3 áreas empresariais de Lagos, assim como os produtos e serviços que estas comercializam.

Segundo o estudo apresentado, as áreas empresariais de Lagos empregam atualmente 610 pessoas e geram uma faturação de 34 milhões de euros (dados extrapolados estatisticamente através da análise aos resultados do inquérito respondido por 46 das 76 empresas), correspondendo a 6,4% do volume de negócios do concelho de Lagos e 6% do emprego neste território, o que traduz bem o peso económico que estas empresas representam.

Organizado pelo NERA, pela AMAL e pela CCDRAlgarve, o evento e o projeto onde o mesmo se insere são financiados pelo CRESC ALGARVE 2020 /Portugal 2020 /UNIÃO EUROPEIA – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

(AC/CM)

Facebook Comments

Comentários no Facebook