Real Conserveira promete repor muxama e estupeta nas mesas portuguesas

Real Conserveira promete repor muxama e estupeta nas mesas portuguesas

1957
PARTILHE

A marca Real Conserveira foi oficialmente apresentada no passado fim-de-semana, nas Festas em Honra do Imaculado Coração de Maria, em Altura. O projeto foi criado por dois alturenses, Miguel e Sandra Guerreiro, e combina a história da Indústria Conserveira de Vila Real de Santo António e o património de sabores do concelho de Castro Marim.

“O registo da marca e a decisão da venda de Muxama e Estupeta de Atum aconteceu no âmbito do mestrado que Miguel Guerreiro frequenta na Universidade do Algarve, de Design de Comunicação para o Turismo e Cultura”, explica a autarquia castromarinense em comunicado de imprensa.

No desenvolvimento de um plano de comunicação para a marca, “juntou-se ao projeto a sua esposa, Sandra Guerreiro, que é empresária na área de Digital Communication e cuja experiência lhe permitiu abraçar esta ideia e transportá-la para um portal de venda online”.

O lançamento será agora reforçado com uma estratégia de promoção da marca, que passa pela sua presença nas noites dos Mercadinhos de Verão, em Altura, onde realizarão showscookings com receitas que aliam a muxama e a estupeta de atum aos produtos castromarinenses, como o Queijo Fresco do Azinhal e a Flor de Sal de Castro Marim. Sandra Guerreiro adianta já a utilização de diferentes produtos de Castro Marim nas futuras receitas, que vai também distribuindo em flyers promocionais. A ideia passa por proporcionar experiências culinárias exclusivas e momentos de partilha entre as pessoas, aliadas ao consumo dos produtos.

Só o sotavento algarvio preserva a tradição do consumo de atum

“Com mais de um século de História, a indústria conserveira de Vila Real de Santo António é uma referência na tradição da Muxama e Estupeta de Atum, chegando a ser mesmo, em meados do século XX, o seu principal setor de atividade económica. Infelizmente, hoje não existe uma fábrica em funcionamento, não só aqui, mas em Portugal, pelo que temos que adquirir os produtos em Espanha”, sublinha Sandra Guerreiro.

Lamenta ainda que “só o sotavento algarvio continue a preservar a tradição do consumo de atum, sendo um produto quase esquecido na restante região”. Também por essa razão, a Real Conserveira prima por se apresentar “numa embalagem elegante e sofisticada que, ao mesmo tempo, valoriza os produtos e os torna mais facilmente transportáveis, relançando no mercado a venda de muxama e de estopeta”.

O projeto está numa fase inicial, que serve para perceber a reação do consumidor e poder melhorar a abordagem e apresentação do produto, mas em 2020 a Real Conserveira prevê avançar com uma estratégia mais consertada e de longo prazo e avançar o projeto além-fronteiras.

A Câmara de Castro Marim mantém e promove uma política de apoio ao empreendedorismo, facilitando também todos os seus canais de comunicação, na persecução de uma maior sustentabilidade do território.

 (CM)

Facebook Comments

Comentários no Facebook