Licenciatura em Engenharia Alimentar vai reabrir na Universidade do Algarve

Licenciatura em Engenharia Alimentar vai reabrir na Universidade do Algarve

433
PARTILHE

A Universidade do Algarve vai reabrir, já no próximo ano letivo 2019/2020, a licenciatura em Engenharia Alimentar, que será lecionada no Instituto Superior de Engenharia (ISE).

Este curso vai substituir a atual licenciatura em Tecnologia e Segurança Alimentar (Foto D.R.)

Este curso, que irá substituir a atual licenciatura em Tecnologia e Segurança Alimentar, já havia sido lecionado na Academia algarvia, mas surge agora reestruturado, nomeadamente no que concerne ao seu plano de estudos.

No que diz respeito aos principais objetivos, este curso pretende “formar profissionais com conhecimento e competências necessárias à resolução de problemas concretos de Engenharia Alimentar, compreendendo a natureza física, química e biológica dos alimentos e bebidas, assim como as alterações resultantes do processamento tecnológico e dos métodos de controlar as diferentes etapas de produção, para obter produtos finais seguros e saudáveis”, afirma a academia algarvia em comunicado.

Também o controlo “de qualidade químico, microbiológico e sensorial da implementação e gestão de sistemas de qualidade e segurança alimentar, e a dinamização de estratégias para a utilização de recursos e energia sustentáveis” são algumas das prioridades desta nova licenciatura.

Com a duração de três anos, perfazendo um total de 180 ECTS, a licenciatura em Engenharia Alimentar irá abrir 23 vagas já no próximo ano letivo, 50% das quais para os candidatos com preferência regional. No acesso a este novo curso, existe, também, uma percentagem de vagas (30%) para cursos com acesso preferencial. As provas de ingresso exigidas são Física e Química e Matemática.

Relativamente às saídas profissionais, os licenciados em Engenharia Alimentar poderão desempenhar funções em: empresas do setor agroalimentar, administração pública e associações profissionais; empresas de fornecimento, distribuição e comercialização de géneros alimentícios; empresas de consultoria e auditoria; entidades de fiscalização; equipas de investigação e desenvolvimento de processos, equipamento e produtos alimentares em indústrias e outras organizações; equipas para o planeamento e execução de projetos de indústrias alimentares e equipas de formação/educação.

(SP/HDF)

Facebook Comments

Comentários no Facebook