Pode o Algarve tornar-se na Meca do Turismo de Saúde e Bem...

Pode o Algarve tornar-se na Meca do Turismo de Saúde e Bem Estar?

468
PARTILHE

O Algarve pode tornar-se na Meca do Turismo de Saúde e Bem Estar – €600 bilhões na indústria global – de acordo com os organizadores da Conferência de Turismo no Algarve 2019, avança O TURISMO.PT.

A conferência vai decorrer no dia 27 de Setembro, no Hilton Vilamoura Resort (Foto D.R.)

Segundo os organizadores, a região poderá vir a transformar-se numa “Meca” para os viajantes da saúde e bem-estar ao beneficiar de um investimento “directamente relacionado com o aumento de €600 bilhões na indústria global”

Para Andrew Coutts, consultor em desenvolvimento turístico, espera-se que o “Turismo de bem-estar” mundial, “ultrapasse rapidamente, os €900 bilhões em 2022, representando 18% do mercado do turismo global.” Entretanto, a GWI (Global Wellness Institute) prevê que as viagens de turismo de bem-estar aumentem aproximadamente 8% anualmente alcançando €1.2 bilhões em 2022.

Entretanto, há que ter em agenda a Conferência de Turismo no Algarve 2019, que decorrerá a 27 de Setembro, sexta-feira, no Hilton Vilamoura Resort, entre as 9 e as 17 horas.

Esta Conferência contará com a participação de João Fernandes, presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA), e de Francisco Serra, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR – Algarve).

Estarão também presentes no evento, “outras entidades de elevada importância e influência na região como sendo a GSI Health & Welness Exchange, Revive Clinic Algarve, Grupo HPA Saúde, Longevity, Vale do Lobo, ASPA e o Pine Cliffs Resort/UIP.”

Coutts, CEO da ILM Tourism & Hospitality Real Estate Group Portugal, pensa que a região deverá unir esforços criando “um plano de desenvolvimento sustentável para fazer face a este movimento, potencial, de bem-estar global.”

Coutts lembra também que “o Algarve está à beira de uma transformação ligada à rápida expansão da indústria do turismo da saúde e bem-estar”, e continua afirmando que “a Europa está, actualmente, no topo da procura como destino mais popular para as viagens de saúde e bem-estar, o que é uma notícia fantástica para o Algarve. A nossa região está numa posição privilegiada, beneficiando de ativos naturais com fortes cadeias de fornecimento de produtos e serviços de suporte potencial em áreas como a tecnologia, sustentabilidade e inovação. A Região tem todos os ingredientes para se tornar a “Meca” para os viajantes de saúde e bem-estar em todo o mundo. No entanto, o ónus está agora no mercado local para trabalhar em conjunto e aproveitar a oportunidade, criando um plano robusto para os anos que virão.

“A indústria do bem-estar estourou na consciência do consumidor há alguns anos. Agora é um indústria de vários bilhões de euros, com empresas e governos acumulando investimentos em novas estratégias, produtos, experiências e destinos. Bem-estar, alojamento e viagens estão convergindo de diversas maneiras e sem antecedentes. As empresas experimentam novas parcerias e modelos para ajudar os viajantes a incorporar o bem-estar em todos os aspectos das suas viagens. O Algarve tem condições perfeitas para viagens de saúde, bem-estar e ativas. Sendo um dos destinos mais ensolarados da Europa, com fácil acesso a praias, oceanos e campo, proporciona oportunidades para a prática de todas as atividades ao ar-livre, desportos aquáticos como o surf e o caiaque, trail-running, caminhadas e atividades restaurativas como o pilates e o yoga. Estamos também a testemunhar um aumento no turismo desportivo profissional relacionado com atletas de classe mundial e clubes cada vez mais olhando para estágios de treino no Algarve”.

“Novas oportunidades geradas pelo movimento das viagens de saúde e bem-estar permitirão constituir o tema central da Conferência do Turismo do Algarve – 2019, reunindo líderes empresariais, tomadores de decisão, formadores de opinião e peritos de toda a Comunidade Turística Internacional. Mais de 25 participantes irão partilhar conhecimento adquirido, ao longo dos anos, ajudando a ampliar a compreensão do tema.”

A conferência durará um dia, inteiro, e abordará especificamente os aspectos da procura dos mercados de turismo emergentes, incluindo as tendências actuais, estudos caso, potenciais fontes de mercado e comportamento dos “novos consumidores”.

Coutts disse que o aumento nas viagens de “saúde e bem-estar” tem tido a influência de uma série de factores, incluindo “a expansão da classe média global e a crescente procura dos consumidores por estilos de vida saudáveis.” Enquanto o potencial do Algarve permanecer inalterado, Coutts diz que as actuais desconexões dentro da comunidade empresarial arriscam-se a limitar o ritmo do progresso.

“Todos os anos, os viajantes de saúde e bem-estar gastam mais de €600 bilhões em todo o mundo”, disse Coutts. “Isso é distribuído entre muitos segmentos da indústria do turismo – desde alimentos á hospedagem até actividades como excursões, compras e outros serviços. Dentro de cada segmento, alguns gastos podem incluir actividades focadas no bem-estar, como visitar uma fonte termal, fazer uma massagem ou fazer uma aula de meditação ou ginástica. Outros consumos podem ser “genéricos” como transporte, alimentação geral e hospedagem, ou comprar lembranças. À medida que mais consumidores incorporam o bem-estar em seus estilos de vida, mais oportunidades existirão para todas as empresas capturarem uma parte do que esses turistas de alto valor podem despender / gastar na região”.

“No entanto, uma das fraquezas que observamos no Algarve é a desconexão entre os principais operadores no sector turístico, conduzindo a oportunidades perdidas. Uma maior comunicação e cooperação em todo o sector entre estes mercados seria mutuamente benéfica, na medida em que os turistas são uma grande fonte de investidores imobiliários. Enquanto isso, a indústria médica permanece relativamente inexplorada na nossa região. Estamos a começar a ver novas instalações de alto nível no Algarve combinando a medicina moderna e regenerativa com o bem-estar avançado e diagnósticos preventivos, terapias e programas. Esta será outra área de grande crescimento nas próximas décadas. Mas, a fim de capitalizar plenamente sobre estes “novos mercados de turismo” para “novos tempos”, devemos desenvolver uma abordagem mais fluida e conectada ao posicionar e empacotar produtos de turismo para novos consumidores.”

Algarve poderá vir a transformar-se numa “Meca” para os viajantes da saúde e bem-estar ao beneficiar de um investimento “directamente relacionado com o aumento de €600 bilhões na indústria global”.
João Fernandes, presidente do Turismo do Algarve e da ATA (FOTO VASCO CÉLIO/STILLS D.R.)

João Fernandes, presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA) que também lidera a Associação de Turismo do Algarve (ATA), disse que a região está a tornar-se mais competitiva e mais conhecida pela sua qualidade e diversidade.

“A Conferência de Turismo do Algarve está a tornar-se rapidamente um dos eventos mais importantes para a nossa indústria, permitindo aos profissionais do sector público e privado partilharem conhecimentos e melhores práticas” afirmou. “Crucialmente, ele fornece uma plataforma para discutir as maiores tendências mundiais e o futuro para a nossa região, incluindo onde estão as maiores oportunidades. Um dos principais objectivos da RTA e da ATA é unir as empresas que trabalham em todo o sector turístico do Algarve. Queremos que a indústria trabalhe mais coletivamente com uma visão ambiciosa e progressiva mostrando que a nossa região oferece muito mais do que apenas sol, praias e golfe. Uma das formas de conseguir isso é aumentar a nossa capacidade de Networking, onde eventos como a conferência de turismo do Algarve provam ser inestimáveis.”

A Presidente da IPBN, Aoife Healey, disse que o grupo está a apoiar a conferência pelo segundo ano. A rápida expansão da rede de negócios internacionais visa estimular o comércio e o investimento entre a Irlanda e Portugal. Assim sendo apoiada pelas comités de Lisboa e do Algarve, nos últimos 12 meses, a IPBN, duplicou os seus membros.

“Estamos muito satisfeitos por estarmos a organizar a segunda edição da Conferência de Turismo do Algarve enquanto olhamos para a dinâmica do evento inaugural do Outono passado”, disse Aoife Healy. “As nossas nações estão fortemente alinhadas em muitos sectores ao lado do turismo e saúde, como tecnologia, energias renováveis e agricultura. O IPBN procura estimular níveis mais elevados de comércio bi-lateral e estamos, particularmente, a encorajar as empresas irlandesas a capitalizar as atraentes condições de exportação e de importação em Portugal que não tem tarifas ou procedimentos aduaneiros.”

O sector turístico de Portugal está a ser encorajado a participar na conferência de Setembro, sobretudo “empresários de turismo e viagens inovadores, comércio de viagens e empresas de gestão de destino (DMC), Resorts, Hoteis e desenvolvimento turístico, gestores de alojamento e operadores, promotores imobiliários e investidores, gestores imobiliários e corretores de imóveis.”

Uma série de pacotes estão a ser oferecidos aos representantes, incluindo espaço de exposição, sala de conferências, patrocínio e oportunidades de parceria.
Os ingressos já estão à venda. Os membros da IPBN podem igualmente beneficiar de um desconto adicional de 10% num preço para “Early Bird” e 20% em preços subsequentes.

Facebook Comments

Comentários no Facebook