O desafio da fotografia de rua

O desafio da fotografia de rua

330
PARTILHE

Um registo fotográfico de aspectos da vida quotidiana com espontaneidade e autenticidade num lugar público com um caracter documental, histórico ou social constitui a essência da fotografia de rua.

Saúl Jorge, membro da ALFA

Fotografia de rua é estar sempre preparado para poder fotografar o inesperado, o que lhe confere o caracter desafiador e ao mesmo tempo prazeroso.

As fronteiras da fotografia de rua são esbatidas e as zonas de sombra enormes em relação a outros estilos de fotografia com os quais se cruza e convive.

São registos fotográficos que transpiram por todos os pixéis utilizados um realismo envolvente e uma emoção subjacente, ao contar uma história, que não pode ser encenada ou invasiva.

Sem fins manifestamente comerciais podemos fazer registos publicáveis ou não, dentro do respeito pela intimidade e dignidade humanas.

Três premissas técnicas a considerar são o enquadramento, a focagem e a oportunidade do disparo.

“Em espera no aeroporto” (Pentax OPTIO W 80 28 mm,F/4.2,1/400 seg.,ISO 64)
(Foto Saúl Jorge)

O enquadramento e a composição definem o lugar físico onde decorre a história englobando os elementos paisagísticos, arquitectónicos e dos seres vivos que possa conter. São linhas e curvas, luz e sombra, silhuetas e formas que comportam uma história ou algo para contar.

A focagem é aquilo que vai ajudar a definir os diferentes planos a realçar ou omitir. Os enfoques e desfoques ajudam a demarcar linhas de força ou a preservar a intimidade de quem é fotografado.

O momento do disparo é crucial. Representa o culminar da interacção entre a objectiva e o objecto fotografado. Transporta consigo toda a emoção da captura que vai ser prolongada e ampliada por quem a vai visualizar. Traduz a magia de um momento que passa a ser importante no contexto pessoal ou social na medida em que a fotografia existe para ser partilhada.

Na fotografia devemos ser rebeldes na adulteração das regras básicas da técnica fotográfica como forma de procurar resultados interessantes, harmoniosos e apelativos dentro dos condicionantes impostos pelo ambiente onde estamos a fotografar.

Temos de ser arrojados na forma de encontrar sempre uma nova maneira de contar uma história em imagem.

(Artigo publicado no Caderno de Artes Cultura.Sul)

(CM)

Facebook Comments

Comentários no Facebook