Trail do Lince Ibérico angaria três mil euros para preservação da espécie

Trail do Lince Ibérico angaria três mil euros para preservação da espécie

559
PARTILHE
Esta foi a segunda edição deste evento que uniu o desporto e a natureza (Foto: organização)

O Trail do Lince, que decorreu este sábado em Silves e Monchique, angariou 3.000 euros que vão ser utilizados na promoção e protecção do habitat dos linces ibéricos e na recuperação da sua presença em Portugal, informou a organização.

Os 335 participantes dividiram-se pela caminhada e os percursos de 15 e 30 quilómetros entre Monchique e Silves, habitat natural de linces ibéricos, uma das espécies mais ameaçadas do mundo que tem vindo a ser recuperada.

Esta foi a segunda edição deste evento que uniu o desporto e a natureza, com Marco Franco, da empresa Fire, organizadora do trail, a dizer que, além dos participantes algarvios, o evento atraiu pessoas de vários pontos do país e alguns espanhóis.

Esta é uma “causa que apaixona os portugueses”, comentou Marco Franco, fazendo um balanço “extremamente positivo” do trail que quase duplicou o número de participantes face à primeira edição, e contou ainda com o contributo de mais de 250 pessoas que, apesar de não fazerem o percurso, compraram um lince de peluche, mascote do evento.

Cada peluche permitiu a angariação de cinco euros que vão ser divididos entre as associações ambientalistas World Wide Found For Nature – Portugal (WWF) e pela Liga Portuguesa da Natureza.

“A prova tem como objectivo promover e apoiar o projecto de reintrodução do lince ibérico na natureza e nós, como ONG, o que fazemos é trabalhar sobre a qualidade do habitat natural do lince ibérico”, explicou à Lusa Ângela Morgado, da WWF-Portugal.

O dinheiro angariado vai ser utilizado pela WWF-Portugal para o projecto “no coração do montado”, que está a desenvolver nas zonas de montado a sul do país, e visa premiar as boas práticas florestais e apoiar a gestão florestal sustentável com base num sistema de certificação que tem em conta as vertentes económica, social e ambiental.

Um trabalho de incentivo e informação feito junto dos proprietários de montados de sobreiro e azinho com vista à criação e manutenção de boas condições de vida para aquela espécie, acrescentou Ângela Morgado.

Já a LPN tem vários programas activos relacionados com o lince ibérico e foca-se na preservação da espécie.

(Agência Lusa)

Facebook Comments

Comentários no Facebook