Algarve 2020 reforça fundos comunitários aos territórios de baixa densidade

Algarve 2020 reforça fundos comunitários aos territórios de baixa densidade

1217
PARTILHE
A aldeia de Martim Longo, em Alcoutim, vai ser alvo de revitalização urbana
A aldeia de Martim Longo, em Alcoutim, vai ser alvo de revitalização urbana

O Programa Operacional Regional do ALGARVE 2020 aprovou a inclusão e o financiamento de mais seis operações de requalificação de espaços públicos nos municípios de Aljezur, Vila do Bispo, Monchique e Alcoutim, no quadro da reprogramação do Plano de Acção de Desenvolvimento de Recursos Endógenos (PADRE), na sequência de proposta da Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL).

Esta reprogramação do PADRE vai permitir o apoio a seis operações de requalificação de espaços públicos, nomeadamente em Alcoutim (revitalização urbana da aldeia de Martim Longo), Aljezur (jardim urbano e parque verde da Ribeira de Aljezur), Monchique (requalificação urbana e envolvente do espaço da Antiga Serração) e Vila do Bispo (requalificação das praças da República, em Sagres, e em Vila do Bispo), prevendo-se um investimento total de dois milhões e seiscentos mil euros.

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, desloca-se nos próximos dias 19 e 20 de Janeiro (quinta e sexta-feira) ao Algarve para presidir à assinatura dos termos de aceitação, envolvendo a AMAL, a Comissão Directiva do ALGARVE 2020 e os Municípios de Aljezur (dia 19, pelas 16.30, nos Paços do Concelho), Vila do Bispo (dia 19, às 18 horas, nos Paços do Concelho), Monchique (dia 20, às 9.30, no Parque de São Sebastião) e Alcoutim (dia 20, às 17.45 horas, nos Paços do Concelho).

As sessões contam ainda com as presenças de Nelson de Souza, secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, e Francisco Serra, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento do Algarve e gestor do ALGARVE 2020, bem como com o presidente da AMAL, Jorge Botelho, e os presidentes das câmaras.

O plano é o principal instrumento de apoio a iniciativas associadas às temáticas rurais e aos territórios de Baixa Densidade, visando o financiamento de investimentos públicos que possam criar condições para a valorização dos recursos endógenos, associando-se e articulando-se com as estratégias de desenvolvimento local de base comunitária (DLBC) que suportam pequenas iniciativas privadas e de criação de emprego.

O PADRE é co-financiado pelo Programa Operacional Regional do Algarve – CRESC ALGARVE 2020, ao abrigo do Acordo de Parceria PORTUGAL 2020.

Facebook Comments

Comentários no Facebook