Leeuwarden: Capital Europeia da Cultura 2018

Leeuwarden: Capital Europeia da Cultura 2018

1084
PARTILHE
- PUB -

A OPINIÃO de MARIA LUÍSA FRANCISCO Investigadora na área da Sociologia luisa.algarve@gmail.com
A OPINIÃO de MARIA LUÍSA FRANCISCO
Investigadora na área da Sociologia
luisa.algarve@gmail.com

Faro: Capital Europeia da Cultura 2027

A Capital Europeia da Cultura é uma iniciativa da União Europeia que tem por objectivo a promoção de duas cidades europeias, por um período de um ano, durante o qual cada cidade tem a oportunidade de mostrar à Europa a sua vida e desenvolvimento cultural, permitindo um melhor conhecimento mútuo entre os cidadãos da União Europeia.

Esta iniciativa começou em 1985 com o nome de Cidade Europeia da Cultura. Apenas uma cidade era nomeada por ano, sendo a responsabilidade da organização do evento do Estado-membro ao qual pertencia essa cidade e sucediam-se por ordem alfabética dos países.

Em 1999, o Conselho de Ministros e o Parlamento, decidem mudar o nome de Cidade Europeia da Cultura para Capital Europeia da Cultura e mais tarde passaram a ser nomeadas duas cidades por ano em vez de uma.

O turismo cultural é um mercado turístico muito importante. É visto como uma forma de salvaguarda do património, da preservação da identidade, cultura, tradição e herança de um povo. As cidades são parte crucial neste cenário, pois têm um papel importante na história e na cultura, possuem a capacidade de envolver a comunidade e promover a coesão social.

foto de material de divulgação da capital europeia da cultura 2018
Foto de material de divulgação da Capital Europeia da Cultura 2018

São muitas as cidades europeias que redefinem o seu futuro apostando na cultura e nas artes, como um meio de regeneração do espaço urbano e do desenvolvimento económico da cidade. Apostam assim em eventos culturais e desportivos. Ser Capital Europeia da Cultura é um de entre os grandes eventos culturais internacionais que atraem a atenção dos turistas.

Sugestões para Faro Capital Europeia da Cultura 2027

No caso da cidade de Faro sair vencedora nas candidaturas a Capital Europeia da Cultura, gostaria muito de ver a nossa capital algarvia como uma capital europeia que apostasse numa forte articulação com a Universidade do Algarve.

Gostaria que existisse uma programação que valorizasse os recursos da cidade de Faro em particular e da região em geral. Uma programação dirigida a diversos públicos com projectos originais e com co-produções e pelo menos um megaevento de referência.

Uma programação que apostasse em propostas artísticas de valorização da visão histórica do Algarve, mas que ao mesmo tempo trouxesse leituras contemporâneas com o uso artístico das tecnologias de informação e comunicação.

Uma programação que fizesse a ligação com as periferias de forma a incorporar as comunidades rurais e a divulgação de tradições e pudesse atrair novos investidores.

Seria importante capitalizar o investimento e os contactos que serão gerados pela Capital Europeia da Cultura, de modo a manter a população com vontade de se envolver em novos projetos.

Nestas alturas há sempre oportunidade para a reabilitação de espaços públicos e investimentos em infraestruturas culturais, pelo que a cidade pode sair muito reforçada e rejuvenescida.

Uma cidade que tenha o estandarte de Capital Europeia da Cultura desenvolve o tecido cultural da região em que se insere, para além de ter projecção a nível nacional, europeu e internacional.

base para copos distribuida nos estabelecimentos de restauração da cidade de Leeuwarden
Base para copos distribuída nos estabelecimentos de restauração da cidade de Leeuwarden

Em Portugal temos exemplos de cidades que foram Capitais Europeias da Cultura e o resultado para essas cidades foi multiplicador. Concretamente podemos perceber isso em cidades como Lisboa, que foi Capital Europeia da Cultura em 1994. Porto, que foi Capital em 2001, e Guimarães, Capital em 2012.

2027 será o ano em que Portugal volta a ter uma Capital Europeia da Cultura. Será a quarta vez que uma cidade portuguesa acolhe aquele que é um dos eventos europeus com maior impacto cultural. As cidades interessadas em ser capitais da cultura têm agora quatro anos para preparar as candidaturas.

O município de Faro manifestou interesse. O processo de candidatura a ser entregue em 2021 implica uma equipa interdisciplinar e dinâmica para criar uma programação que mexa não só com Faro, mas com o panorama cultural de toda a região algarvia, em que todas as autarquias se sintam empenhadas, dando principal destaque à cultura.

Faro, se for escolhida como Capital Europeia da Cultura, terá certamente todas as possibilidades para se afirmar no mapa cultural nacional e internacional.

Como já referi, em cada ano existem sempre duas cidades capitais europeias em simultâneo, no ano de 2027 será Portugal e a Letónia.

Este ano a Capital Europeia da Cultura é partilhada entre estas cidades: Valeta (Malta) e Leeuwarden (Holanda).

Visita à Capital Europeia da Cultura 2018

Recentemente estive em Leeuwarden (Região da Frísia no norte da Holanda) e foi interessante ver a dinâmica da cidade. Tudo gira em torno da emblemática figura nascida nesta cidade a 7 de Agosto de 1876, Margaretha Gertruida Zelle, conhecida por Mata Hari. Essa enigmática mulher, que foi bailarina e espia (fuzilada pelos franceses a 15 de Outubro de 1917) tem uma história de vida intensa e que está retratada de forma muito completa e pormenorizada na exposição no Fries Museum ou Museu da Frísia, patente até 2.4.2018 com o título: “Mata Hari, a mulher e o mito”.

Existem muitas visitas guiadas pela cidade, nomeadamente à casa onde nasceu Mata Hari e quase todos os souvenires à venda em Leeuwarden têm referência a esta emblemática figura. A organização distribuiu por todos os locais informação e brochuras e nas zonas de restauração distribui bases para copos com o logotipo desta Capital Europeia da Cultura. Nessas bases, para além de aparecer o logotipo de um lado, aparece a foto de Mata Hari do outro, o que reforça a sua importância enquanto figura associada à cidade.

imagem do exterior do freis museum onde se encontra a exposição sobre a vida de mata hari
Imagem do exterior do Fries Museum onde se encontra a exposição sobre a vida de Mata Hari

Reparei que os menus nos restaurantes recomendados nem sempre estão em inglês e algumas brochuras e informação útil está em holandês e alemão e não em inglês, o que me parece ser uma lacuna de organização nesta Capital Europeia da Cultura. Situação que certamente não se verificaria em Faro.

No geral foi muito gratificante conhecer a dinâmica de Leeuwarden enquanto Capital Europeia da Cultura e sentir que viajar é uma das formas mais interessantes de enriquecermos culturalmente.

Por fim, de referir que existem mais algumas cidades portuguesas a preparar candidaturas, mas como algarvia gostaria que Faro fosse a cidade escolhida, porque seria uma grande oportunidade para esta cidade e um bom desígnio regional.

(Artigo publicado no Caderno Cultura.Sul de Março)

Facebook Comments

Comentários no Facebook