Faro Negativo versus Faro Positivo

Faro Negativo versus Faro Positivo

410
PARTILHE

 

João Negrão Belo
A VOZ DA CIDADANIA. A OPINIÃO de NEGRÃO BELO;
Ex-presidente da Câmara Municipal de Faro

Uma Cidadania activa terá que se pautar por um contraditório imediato a tudo o que seja demagogia ao eleitorado.

DEMAGOGIA É COMO CONSIDERO O PROGRAMA DE MARKETING “FARO POSITIVO”, DE QUE JÁ SAÍRAM DUAS EDIÇÕES E A QUE JÁ TIVE OPORTUNIDADE DE CONTRADITAR…

ENQUANTO A CÂMARA UTILIZAR ESTES ESTRATAGEMAS, UTILIZAREI O REPECTIVO CONTRADITÓRIO.

- Pub -

QUANDO GESTORES, POLÍTICOS, ASSESSORES, DIRCTORES DE SERVIÇOS PÚBLICOS SE COMPORTAM NA PERSPECTIVA DE PRIVADOS, FICA PREJUDICADO O QUE É PÚBLICO.

É PARADIGMÁTICO ESTAREM À FRENTE DA CÂMARA VEREADORES, TÉCNICOS, ASSESSORES, CUJAS FAMÍLIAS E ELES PRÓPRIOS SÃO EMPRESÁRIOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL.

COMO É QUE A MESMA PESSOA COMPATIBILIZA OS INTERESSES PÚBLICOS QUE DEVE AO SEU EMPREGADOR, COM OS SEUS PRÓPRIOS INTERESSES PRIVADOS?

O STATUS QUOS, A QUE ME REFIRO ESTÁ NA ORIGEM E INFLUENCIA AS SITUAÇÕES QUE VOU EXEMPLIFICAR…

1 – GESTÃO RUINOSA E OPACA.

A COMPRA DE TERRENO PARA A CONSTRUÇÃO DE 49 FOGOS, PELO VALOR DE UM MILHÂO E SETECENTOS MIL EUROS, É O EXEMPLO DE UMA GESTÃO RUINOSA E OPACA. O TERRENO PARA CADA FOGO FICOU EM 360 MIL E 700 EUROS, O QUE SE TRATA DE UM PREÇO PROIBITIVO PARA FOGOS A PREÇO CONTROLADO..

A Câmara sempre foi a autora dos seus loteamentos de habitação social, negociando, comprando ou expropriando, por utilidade pública, os terrenos necessários parta o efeito. Como se compreende que se porte agora, como se fosse um construtor civil?

2 – GESTÃO AO SERVIÇO DO CAPITAL E NÃO DO CIDADÃO.

O EXEMPLO DA CONSTRUÇÃO DE TRÊS CAMPOS DE FUTEBOL NO PARQUE DAS CIDADES, COM UM CUSTO PREVISIONAL DE QUASE DOIS MILHÕES DE EUROS, VERBA SUPERIOR AO INVESTIMENTO PREVISTO PARA TODOS OS OBJETIVOS,PROGRAMAS E AÇÕES, DOS CAPITÚLOS, CULTURA, DESPORTO E TEMPOS LIVRES, PARA TODO O ANO DE 2018, MOSTRTA BEM A IMPORTÂNCIA QUE É DADA À EDUCAÇÃO E QUALIDADE DE VIDA DOS MUNÍCIPES FARENSES.

(Esta obra destina-se ao turismo desportivo que tem grande procura na época baixa)… mas ESSE INVESTIMENTO não DEVE ser suportado pela câmara, em detrimento de outros sectores carenciados.

Contudo foi a primeira obra a avançar e devidamente cabimentada

3 – GESTÁO FINANCEIRA SEM CRITÉRIO

3.1. OS 8 MESES DESTE MANDATO CARACTERIZARAM-SE POR UM LAXISMO NA DISTRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS A TORTO E A DIREITO, AO MAIS VARIADO TIPO DE AGREMIAÇÕES LOCAIS NACIONAIS, PÚBLICAS E PRIVADAS, EM VALOR QUE ULTRAPASSA, o cabimento total de alguns capítulos anuais.

3.2.ENCARGOS avultadíssimos REFERENTES AO PLANEAMENTO URBANISTICO (PP, EP… PDM, PU-) QUE NA MAIORIA DOS CASOS DEVIA SER FEITO PELOS INTERESSADOS, POIS SERÃO ELES OS BENEFICIÁRIOS.

3.3. DESPESAS EXAGERADÍSSIMAS COM ANIMAÇÃO TURÍSTICA, SEM COMPARTICIPAÇÃO DOS PRIVADOS E REGIÃO TURISMO DO ALGARVE PORQUE HÁ UM VASTO SECTOR QUE VIVE DOS RECURSOS DA AUTARQUIA, SUGIRO QUE O PRÓXIMO “FARO POSITIVO” TRAGA A PÚBLICO AS FUNÇÕES ,RECEITAS E DESPESAS DAS EMPRESAS CONSTITUÍDAS PELA CÂMARA, PARA QUE SE LHES FAÇA A DEVIDA APRECIAÇÃO.

Facebook Comments

Comentários no Facebook