Ksar el Kbir: uma cidade que contribuiu para a história do mundo

Ksar el Kbir: uma cidade que contribuiu para a história do mundo

359
PARTILHE

 

Said el Hajji; Historiador marroquino
Said el Hajji;
Historiador marroquino

RESUMO – Conferência Internacional sobre Gestão Cultural organizada pela AGECAL em Tavira a 4 de Maio de 2018.

Construída sob as ruinas da urbe romana de Opidum Novum, a cidade de Ksar el Kbir é uma das mais antigas de Marrocos setentrional. Conheceu um grande desenvolvimento urbano entre os séc. XIII e séc. XVI durante a época almóada e merinidia com a edificação das muralhas, da grande mesquita e outros edificios públicos.

O seu papel comercial continuou durante os reinados dos Watassidas e Saadianos. No século XVI nas proximidades ocorreu um acontecimento de importancia mundial, a batalha do Wad el Makhazin, um dos afluentes do Loukus, a meio caminho entre Larache e Ksar el Kbir, a 4 de agosto de 1578, teatro da ”última cruzada cristã Mediterrânica” para usar a expressão de Fernand Braudel. A batalha de Wad el Makhazin, para a historiografia marroquina, de Alcácer Quibir ou dos Três Reis para a historiografia europeia foi considerada o maior desastre da história portuguesa e um dos sucessos militares mais brilhantes da história de Marrocos.

- Pub -

Esta batalha teve um efeito glacial na grandeza de Portugal e na sua independência, permitiu a Marrocos uma reputação e apresentar-se como uma potência regional durante um curto período. No final do século XV até ao início de seculo XVII, a cidade foi capital do Sheik Al Khadir Ghailan que se dedicou à “djihad” contra a dominação estrangeira. Nos séculos XVIII e XIX converteu-se num grande centro artesanal e comercial. Muitas famílias andaluzas nela se instalaram após a queda de Granada. No século XX, a cidade de Ksar el Kbir teve grandes transformações urbanísticas que afectaram o seu património arquitectónico para favorecer o dinamismo do tecido urbano da medina.

A história da cidade: datas cronológicas

Séc. I a IV: assentamento romano de Opidum Novum

Séc. VII: Souk Kettama ou Ksar Kettama.

Séc. X: desaparecimento da cidade de Al Bacera.

Séc. XII: construção da mesquita de Aâdam e das muralhas de Yacoub El Mansour. Chegada de Moulay Ali Bou Ghaleb, vindo da Andaluzia.

Séc. XIII a XIV: a família do Beni Chkayloule, vindos da Andaluzia, dirigem Ksar el Kbir.

Séc. XV: Djihad contra os portugueses instalados na costa. 1578: Batalha do Oued El Makhazin ou dos Três Reis contra os portugueses.

Séc. XVII: Abou Al-Abbas Al-Khadir Ghailan lança a “djihad” contra as cidades costeiras ocupadas.

1673: Morte de Ghailan e destruição parcial das muralhas por Moulay Ismail, nomeação dos Caïds do Rif como Omar Ben Haddou e seu irmão Ahmed;

1742: Fim do poder dos caïds do Rif por Moulay Abdellah (1728-57). 1845: Guerra fratricida entre os Khlots e os Tligs.

Séc. XIX: Comércio do porto de Larache para a Europa.

1912: Protectorado espanhol.

(Artigo publicado no Caderno Cultura.Sul de Setembro)

Facebook Comments

Comentários no Facebook