Sete desalojados de Monchique formalizaram contratos de arrendamento

Sete desalojados de Monchique formalizaram contratos de arrendamento

277
PARTILHE
Contratos abrangem pessoas cuja casa de primeira habitação ficou destruída pelo fogo (Foto: D.R.)

Sete pessoas desalojadas pelo incêndio do ano passado em Monchique formalizaram com o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) os contratos de apoio ao arrendamento temporário e de longo prazo.

Os contratos, no valor global de 26.434 euros, são os primeiros formalizados no âmbito do programa de apoio ao alojamento urgente ‘Porta de Entrada’, destinando-se a verba ao apoio de quatro casos de arrendamento temporário e outros três de longo prazo (cinco anos).

“Os casos que foram assinados são os mais simples, que têm a ver com o arrendamento e nenhum projecto destes está realizado com a reabilitação”, disse à Agência Lusa Rui André, presidente da Câmara de Monchique.

O autarca explicou que os contratos abrangem pessoas cuja casa de primeira habitação ficou destruída pelo fogo e outras que estavam em casas arrendadas e que encontraram outra casa e a quem o Estado paga o arrendamento.

“As pessoas foram realojadas após o incêndio e estavam a pagar a renda do seu bolso e a partir de agora recebem o dinheiro do Estado”, destacou.

Rui André acrescentou que, além destes sete casos, estão em fase final de instrução pelo IHRU mais duas candidaturas de apoio ao arrendamento.

O concelho de Monchique foi afectado por um incêndio, o maior registado em 2018 em Portugal, e que durante uma semana não deu tréguas aos bombeiros, consumindo mais de 27 mil hectares de floresta e terrenos agrícolas.

O fogo, que deflagrou há seis meses, em 3 de Agosto, na zona da Perna Negra, em Monchique, alastrou primeiro para o Alentejo, tocando o concelho de Odemira (distrito de Beja), sem grande impacto, e logo depois, com mais violência, para Silves e Portimão (distrito de Faro), destruindo ao todo 74 casas, 52 das quais elegíveis para receberem apoio do Estado para a sua construção ou recuperação.

Facebook Comments

Comentários no Facebook