Faro: XXI Fartuna junta jovens de todo o país

Faro: XXI Fartuna junta jovens de todo o país

382
PARTILHE

A cidade de Faro vestiu-se de azul, nos passados dias 8 e 9 de março, para o XXI Fartuna – Festival de Tunas Académicas da Cidade de Faro, que marca, este ano, 20 anos desde a sua primeira edição. A iniciativa é organizada, em exclusivo, pela Versus Tuna.

O evento, que começa a ser organizado em Setembro, envolve dez mil euros e conta com a colaboração e participação de 150 pessoas.

Filipe Pinto, Magister da Versus Tuna e membro da organização, conta que o evento tem como objetivos “fomentar o espírito académico, representar a Universidade do Algarve, assim como a região algarvia transmitindo a sua cultura e identidade muito próprias. Ao mesmo tempo, que tentamos mudar mentalidades e visões no que toca ao mundo tuneril”, acrescenta ainda que, “não é por se estar na tuna, que as pessoas não vão acabar o curso ou não vão ser bem-sucedidas na vida, aliás acho que é uma escola muito mais capaz do que qualquer outra experiência, que se possa ter a nível académico. Em questão de associações e núcleos é das melhores experiências que se pode ter e é uma bagagem que se leva para o mercado de trabalho”.

Durante dois dias, Faro foi invadida por quatro outras tunas: TAFUL (Tuna Académica de Farmácia da Universidade de Lisboa), a TUB (Tuna Universitária de Beja), a RETUB (Real Tuna Universitária de Bragança) e a Imperial TAFFUC (Tuna Académica da Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra), enchendo locais como a Rua de Santo António, o Largo da Igreja do Carmo e o Teatro das Figuras.

No primeiro dia do festival decorreu, no Largo da Igreja do Carmo, a tradicional noite de serenatas, que contou com a conhecida abertura dos In Versus – Grupo de Fados e Guitarradas de Coimbra.

A versus tuna foi fundada em 1991. (Foto: D.R.)

No sábado, 9 de março, as tunas convidadas animaram a Rua de Santo António com o habitual Pasacalles e o ponto alto das festividades aconteceu quando os participantes do evento se juntaram e pisaram o palco do Teatro das Figuras criando um ambiente de alegria e animação com as suas atuações.

“Desde o princípio que aceitámos este evento para abrir à comunidade académica, para cativar os estudantes e para lhes dar a conhecer o teatro que existe na cidade, porque muitas vezes e por várias razões eles não são frequentadores assíduos do teatro. No fundo, para lhes mostrar que existe esta estrutura, que temos programação, que abrange vários públicos incluindo os estudantes. Esta noite, as expectativas são boas e contamos com uma boa aderência por parte do público”, concluiu Gil Silva, diretor do Teatro das Figuras.

A primeira edição remonta a 1999

Este festival, cuja primeira edição remonta ao ano de 1999, “é o culminar do trabalho de um ano inteiro, em que se organiza um certame e se convidam tunas para vir cá. É também costume antigos membros e os fundadores da tuna estarem presentes no Fartuna”, disse João Palma, membro da Versus Tuna ao POSTAL.

No decorrer da iniciativa, as tunas convidadas estiveram a concurso e foram avaliadas por um painel de jurados que lhes atribuíram os prémios, entre eles, Melhor Serenata, Melhor Tuna, Melhor Pandeireta, Melhor Estandarte, Tuna Mais Tuna, Melhor Instrumental, Melhor Solista e a novidade Tuna mais He for She. O concurso conta com um total de 11 prémios, sendo os mesmos, as tradicionais chaminés algarvias em barro.

Este ano, a Versus Tuna associou-se a um movimento que promove a igualdade de género e os direitos das mulheres chamado He for She [Ele por Ela], atribuindo um prémio à tuna que tivesse mais elementos femininos a apoiá-la.

(Eunice Silva / Cristina Mendonça)

Facebook Comments

Comentários no Facebook