Dom Rodrigo de Lagos nomeado às 7 Maravilhas Doces

Dom Rodrigo de Lagos nomeado às 7 Maravilhas Doces

697
PARTILHE
O Dom Rodrigo de Lagos, um bolo algarvio de origem conventual, terá sido criado no séc. XVIII (Foto: D.R.)

O Dom Rodrigo, o mais tradicional doce de Lagos, está nomeado para as 7 Maravilhas Doces de Portugal.

Diz a tradição que o Dom Rodrigo de Lagos, um bolo algarvio de origem conventual, terá sido criado no séc. XVIII, no antigo Convento de Nossa Senhora do Carmo em Lagos, pelas mãos das freiras Carmelitas, em honra ao fidalgo D. Rodrigo de Menezes Governador da Praça. A comercialização do Dom Rodrigo de Lagos terá começado a partir dos anos 30 do séc. XX, com a abertura da “Casa de Doces Regionais – Taquelim Gonçalves” (o mais antigo estabelecimento de Lagos dedicado à doçaria, e que ainda hoje existe).

Atualmente, visitantes de toda a região e país deslocam-se a Lagos para provar este afamado doce, uma referência da cidade e da região do Algarve. Por este motivo, a Câmara de Lagos decidiu avançar com a candidatura para as 7 Maravilhas Doces de Portugal.

A iniciativa foi apresentada em fevereiro, por Luis Segadães, presidente das 7 Maravilhas, e o formato televisivo por José Fragoso, Diretor da RTP1 e RTP Internacional.

Para efeitos deste concurso, a tradição é definida como o hábito de consumir e/ou de produzir um determinado doce ao longo do tempo, em que as referências históricas serão um critério essencial a assinalar em cada candidatura. Por seu turno, a inovação é definida pela capacidade de criar um doce, quer este seja um bolo, um pastel, pudim, gelado ou outro, que represente uma inovação face aos doces tradicionais, mas obrigatoriamente, à base de um ou mais produtos endógenos.

“Um dos pilares das 7 Maravilhas, que já vai na sua oitava edição, tem sido, desde sempre, dar a conhecer as nossas tradições, contribuindo para a sua preservação. Por muito que o projeto se reinvente, a nossa missão mantém-se”, salienta Luis Segadães, presidente das 7 Maravilhas, referindo, na altura da apresentação do projeto, que “a grande aposta deste ano é na Inovação à base de produtos endógenos, incentivando ao empreendedorismo local. A tradição, a importância económica, social e cultural dos doces são também critérios preponderantes”.

Depois de ver a sua candidatura aceite, o Dom Rodrigo de Lagos passa agora a ser um dos nomeados às 7 Maravilhas Doces de Portugal.

As semi-finais vão acontecer a 24 e 31 de agosto, em dois programas em direto na RTP1, transmitidos em horário nobre. Catarina Furtado e José Carlos Malato voltam a ser os anfitriões e embaixadores das 7 Maravilhas, apresentando as três Galas (duas semifinais e uma Grande Final). A Gala Finalíssima decorre a 7 de setembro e será também transmitida pela RTP1, em horário nobre.

Dos 14 finalistas apurados vão ser eleitos 7 doces pelos portugueses como 7 Maravilhas de Portugal.

Mais informações sobre o projeto AQUI.

(CM)

Facebook Comments

Comentários no Facebook