Morrer entre chamas ou combater? Mais eficaz, menos incompetência!

Morrer entre chamas ou combater? Mais eficaz, menos incompetência!

1056
PARTILHE
João Rocha e Silva, líder do Movimento Nossa Terra XXI de candidatura à Assembleia Municipal de Tavira e à Assembleia de Freguesia da Luz e Santo Estêvão (Foto D.R.)

Aproxima-se a época alta de incêndios, o calor que provoca temperaturas elevadas e risco de incêndio e delinquentes que se aproveitam desta natureza para destruir a nossa floresta.

Temos assistido ao longo dos últimos anos a trágicos incêndios que destruíram hectares de floresta, ceifaram vidas inocentes. Portugal necessita de uma grande reforma do sistema de defesa e protecção civil do território português.

Onde está a nossa força área de combate aos incêndios? Depende de privados?! Portugal tem que investir mais nos meios de defesa e protecção civil do país. A autoridade de protecção civil tem vivido uma crise de incapacidade entre comandos e chefias locais.

É fulcral existir investimento na formação de escolas de bombeiros militares, adotar as Forças Armadas de meios próprios para prevenir e combater os incêndios florestais.

Proponho que sejam criadas as condições para desenvolvimento de uma unidade militar nacional de intervenção rápida no âmbito da protecção civil. A autoridade nacional de protecção civil deverá estar sob a alçada do Ministério da Defesa, sendo a protecção civil o quarto ramo das Forças Armadas Portuguesas.

(CM)

Facebook Comments

Comentários no Facebook