Afinal, microalgas não são prejudiciais e interdição dos banhos é levantada

Afinal, microalgas não são prejudiciais e interdição dos banhos é levantada

1925
PARTILHE

Foi levantada a interdição dos banhos nas praias algarvias entre a Ilha Deserta, em Faro, e a praia da Falésia, em Albufeira, segundo avançou o JN. A decisão foi tomada ao final da manhã desta quarta-feira.

A decisão de interditar os banhos foi tomada depois de ter surgido uma elevada concentração de microalgas (Foto D.R.)

Segundo apurou o JN, Agência Portuguesa do Ambiente recebeu novos resultados de análises que atestam que as toxinas libertadas pelas microalgas do tipo dinoflagelados não são prejudiciais para os humanos, como receavam as autoridades de saúde e ambientais.

Para já, mantém-se a interdição preventiva da apanha de bivalves nas zonas afetadas. O Instituto Português do Mar e da Atmosfera ainda não levantou a proibição decretada esta terça-feira por temer que houvesse contaminação.

A decisão de interditar os banhos foi tomada depois de ter surgido uma elevada concentração de microalgas no domingo, que se entendeu por vários quilómetros de costa. Depois de identificado o tipo de microalgas, a Delegada de Saúde Regional temeu que pudessem libertar toxinas causadoras de sintomas graves, como dormência ou paralisia temporárias e problemas gastrointestinais, pelo que a opção foi a de ordenar o hastear das bandeiras vermelhas nas zonas afetadas, de forma preventiva, até que fossem conhecidos os resultados finais, o que veio agora a acontecer.

SAIBA MAIS:

IPMA proíbe apanha e comercialização de bivalves devido à maré vermelha

“Maré vermelha” interdita banhos em praias do Algarve durante vários dias

Maré vermelha: Resultados das análises só devem ser conhecidos no final da semana

Facebook Comments

Comentários no Facebook