Feira de verão de Quarteira arranca com animação infantil pelo palhaço Batatinha

Feira de verão de Quarteira arranca com animação infantil pelo palhaço Batatinha

543
PARTILHE
A figura dos anos 90 ruma a sul para inaugurar este evento que marca o programa de animação de verão no concelho de Loulé (Foto D.R.)

A segunda edição da Feira de Verão de Quarteira arranca a 14 de junho, sexta-feira, com um espetáculo do carismático Palhaço Batatinha, no recinto do certame, o Jardim Joaquim Filipe Jonas, a partir das 18 horas.

Figura que se celebrizou nos anos 90, com o sucesso alcançado pelo programa televisivo “Batatoon” em que fazia dupla com o seu parceiro Companhia, o Batatinha faz parte do imaginário de muitas crianças e rumará agora ao Sul para inaugurar este evento que marca o programa de animação de verão no Concelho de Loulé.

A Feira de Quarteira promete voltar a animar esta cidade, um dos principais centros do turismo algarvio, durante 3 intensos meses (de 14 de junho a 15 de setembro) em que não faltará música, artes, artesanato ou gastronomia, através de um certame que pretende atrair mais turistas, criando aqui um espaço de dinamização de iniciativas recreativas, bem como uma zona de carácter comercial, com dezenas de expositores nas áreas do artesanato ou produtos agroalimentares.

Para além de um palco para espetáculos, área com bancas de artesanato e espaço de tasquinhas, haverá uma zona que muito agradará a miúdos e graúdos, com carroceis, carrinhos-de-choque e outros divertimentos.

A Feira de Verão de Quarteira tem entrada livre e decorrerá no seguinte horário: das 19:30 horas às 00:00 horas, durante o período de 14 de junho a 11 de julho e de 1 a 15 de setembro, e das 19:30 horas às 1 horas, durante o período de 12 de julho a 31 de agosto. A entrada é livre.

Recorde-se que este certame foi concebido numa estratégia de qualificação do espaço público e da oferta de melhor qualidade de estadia aos cidadãos de Quarteira e aos milhares que visitam a cidade durante o verão, com o intuito criar uma nova centralidade no espaço urbano, reduzindo a “pressão” na sua frente de mar.

(ES/HF)

Facebook Comments

Comentários no Facebook