Cristóvão Norte: “O Governo não pode tratar o Algarve como da última...

Cristóvão Norte: “O Governo não pode tratar o Algarve como da última vez”

490
PARTILHE
- PUB -
Cristóvão Norte
Cristóvão Norte entende que o Governo deve tomar medidas preventivas (Foto D.R.)

Cristóvão Norte, deputado do PSD, entende ser necessário que o Governo “tome medidas preventivas para enfrentar a eventual greve do sindicato dos trabalhadores dos transportes rodoviários prevista para se iniciar a 12 de Agosto e que pode colocar em causa o abastecimento dos combustíveis aos portugueses, com particular enfoque no Algarve”, conforme refere a nota de imprensa enviada às redações.

O deputado assinala que “a última paralisação coincidiu com o período de Páscoa, e as medidas que o Governo tomou não salvaguardaram a região que registava uma forte ocupação, tendo que servir cerca de um milhão de pessoas. As bombas no Algarve rapidamente esgotaram, o pânico instalou-se e, não fora se ter encontrado um princípio de acordo que afinal não era acordo nenhum, teria sido um episódio de repercussões gravíssimas para o Algarve. O Governo não tem perdão se cometer o mesmo erro duas vezes.”

Norte relembra que, numa primeira fase, na páscoa o Algarve ficou incompreensivelmente fora dos serviços mínimos.

No Algarve “prevê-se que venham a estar 1, 3 milhões de pessoas, cerca de 900 mil deslocados, sendo que é necessário garantir o abastecimento de combustíveis ao Aeroporto Internacional de Faro, hospitais da região, hotéis e outros negócios, num grau de exigência que não pode falhar nem ter erros”, complementa.

Cristóvão Norte apela a que o “Governo estabeleça um plano que tenha em atenção as particularidades do período, o nível e exigência do serviço a prestar, a garantia dos direitos básicos dos cidadãos contra imposições que os possam colocar em causa e que esse levantamento seja feito com os municípios, responsáveis pelo turismo, pela saúde, de modo a que seja salvaguardado e não perigue o abastecimento”.

(SP/CM)

Facebook Comments

Comentários no Facebook