Arte invade Centro Histórico de São Brás de Alportel

Arte invade Centro Histórico de São Brás de Alportel

524
PARTILHE

A 6ª edição do “Calçadas, A arte sai À Rua” volta a invadir de cultura e animação as ruas e ruelas do Centro Histórico de São Brás de Alportel, amanhã, 14 de agosto.

A arte espreita por esquinas e ruelas e convida a uma noite magica em São Brás (Fotos D.R.)

A partir das 20 horas pode ser surpreendido por criações artísticas, design, escultura, fotografia, momentos de música e dança, mas também poesia e até contos de arrepiar… a arte espreita por esquinas e ruelas e convida a uma noite magica, em que se consegue ouvir bater o coração da vila.

Para acompanhar o passeio, não vão faltar os petiscos, produtos locais e claro muito artesanato para levar consigo originais peças que trazem consigo a mestria do tempo.

O programa de animação  integra 14 momentos, distribuídos por 7 diferentes espaços. Os animados Al-fanfarre iniciam a sua atuação no Largo de São Sebastião pelas 20:30.

O Palco do Adro da Igreja Matriz volta a ser o ponto de encontro da dança, com atuações da Escola de Dança Municipal de São Brás de Alportel e a Companhia de Dança do Algarve. No alternativo espaço “À do Calçadas”, no pátio do antigo Palácio Episcopal a partir das 21:15 podemos ouvir Rattle N Strum, Beatrice e DJ Solitaire. O Palco da Praça Velha abre às 21 horas e contará com as atuações da fadista Argentina Freire, do grupo Campaniças do Mira (tradicional) e ainda os momentos de hilariante comédia com Jorge Serafim . E no Palco Vila Adentro, para onde são reservados sempre momentos muito especiais, a animação tem início pelas 21:30 com as atuações de Big Six (rock), The Wax Flamingos (blues/rock) e com a aguardada atuação do grupo Quem é o Bob? (reggae), uma homenagem a Bob Marley!

Cultura e animação vão encher as ruas e ruelas do de São Brás de Alportel

Os mais pequenos têm na Biblioteca Municipal o seu recanto especial com duas sessões de contos com as Trovadoras Itinerantes, pelas 21:30 e 22:30, para além de muitas pinturas faciais.

E para manter a tradição, ao bater das 12 badaladas, na Calçadinha é tempo de ouvir “Histórias de Arrepiar”, por Maria José Carocinho e Fernando Guerreiro.

No Centro de Artes e Ofícios, é ainda possível visitar as exposições “Os Começos” de Jolita Yamuna e “Subnigrum: Fronteira” de Ana Vieira Ribeiro, fruto de uma parceria estabelecida com o MUSEU ZERO, uma das novidades desta 6.ª edição do Calçadas, sempre no rumo da valorização das artes na região.

(CM)

Facebook Comments

Comentários no Facebook