Vandalismo esta madrugada em Faro resultou em mais viaturas incendiadas

Vandalismo esta madrugada em Faro resultou em mais viaturas incendiadas [vídeo]

3145
PARTILHE
- PUB -

“Esta madrugada, a Rua Pintor Artur Costa, em Faro, foi assolada por atos de vandalismo: incendiaram caixotes de lixo (reciclagem) que por sua vez pegaram a uma viatura” é o testemunho de Rosa Martins, moradora daquela rua.

A noite foi de terror para alguns moradores em Faro (Foto D.R.)

Perto das cinco horas desta madrugada, uma viatura ficou totalmente destruída. Pertencia a um casal de surdos, pais de uma criança igualmente surda, moradores naquela rua, apurou o POSTAL. [Ver vídeo].

O POSTAL revela um vídeo do incêndio que destruiu uma das viaturas esta madrugada na capital algarvia (Direitos Reservados)

Rosa Martins desabafa que “na minha rua, foi um que ficou completamente destruído. A pronta intervenção dos Bombeiros Sapadores de Faro fez com que fosse só aquele [naquela rua], mas poderiam ser todos”.

A viatura pertencia a um casal de surdos, pais de uma criança igualmente surda, moradores naquela rua (Foto D.R.)

“Noutra rua, mais abaixo, foram motos e carros… enfim, uma noite de terror, e agora de quem é a responsabilidade? Não sei, sei que o meu vizinho ficou sem o seu carro [e agora] quem lhe paga?”, lamenta a mesma.

“Noutra rua mais abaixo foram motos e carros…” (Foto D.R.)

O caso começa a atingir dimensões consideradas alarmantes para alguns farenses: “Vai fazer um mês que deitaram fogo à carrinha do meu marido, ao pé do Coral. Tentaram 2 vezes, antes, sem sucesso, mas à terceira foi de vez”.

O sentimento de insegurança parece ser crescente à medida que se ouvem denuncias várias de atos recentes de vandalismo em plena cidade de Faro: “Está a ser constante fazerem isso aos caixotes do lixo. Que eu saiba, foram 2 vezes os ecopontos, no caminho para o “Seu Café” e uma vez na Penha perto do Coral”.

Sobre uma das viaturas incendiadas perto do Coral, há cerca de um ano, a proprietária do veículo explica que “pegaram fogo ao contentor e chegou ao meu carro. Nada comparado com isto que estou a ver porque os bombeiros chegaram a tempo, mas o custo dos prejuízos causados foram todos para cima de mim”.

“Até hoje, passado daqui a pouco um ano, ainda aguardo respostas” (Foto D.R.)

Diz que foi à câmara municipal e que falou com os responsáveis pelo contentores, mas “ninguém se responsabilizou. Eu que estava deitada e descansada da minha vida, tive um prejuízo de todo o tamanho. Ninguém fica mais prejudicado do que nós próprios que ainda ficamos sem as nossas viaturas. Até hoje, passado daqui a pouco um ano, ainda aguardo respostas”, lamenta a mesma.

Facebook Comments

Comentários no Facebook